Rótulo para alimentos – o que você precisa saber sobre tabela nutricional

rotulo para alimentosMuitos de nossos clientes possuem dúvidas em relação às informações obrigatórias que devem constar no rótulo para alimento e também sobre a necessidade da tabela nutricional. Para ajudá-los, reunimos neste artigo informações importantes sobre o assunto. Realizamos uma extensa pesquisa sobre o assunto, utilizando como fontes documentos da ANVISA e Embrapa. Nesta pesquisa, encontramos diversas Portarias e documentos muito úteis a todos os empreendedores da área alimentícia, e ao final deste artigo você poderá baixar gratuitamente todo o material encontrado.

Com a crise que vem se arrastando há alguns anos na economia brasileira, muitas pessoas tiveram a necessidade de iniciar um “plano B”, e com isso, começaram a empreender no ramo de alimentação. Bolos de pote, congelados e uma série de outros produtos artesanais começaram a ser produzidos, movimentando um mercado paralelo. O micro-empreendedor começa timidamente, vendendo para conhecidos e família, e conforme a clientela vai crescendo, aos poucos vai expandindo suas vendas. Com isso, surge a necessidade de se estabelecer como empresa, e é aí que entra a necessidade de profissionalizar os processos e ter um cuidado especial com a imagem do produto. E neste aspecto, os rótulos para alimentos possuem um papel fundamental no sucesso (ou fracasso) de qualquer produto.

Além de atrair o consumidor, o rótulo tem a função de informá-lo sobre o que está dentro da embalagem, dando-lhe a possibilidade de fazer (ou não) escolhas saudáveis. Se você está apenas começando, e ainda não comercializa formalmente, pode criar um rótulo simples apenas para identificar o seu produto. Ainda assim, a recomendação é que você já pense em um layout mais profissional, que inclua o máximo de informações possíveis, pois um bom rótulo é o essencial para atrair o consumidor. Mas se você pretende comercializar sua produção, deve estar atento a todas as regras que a Legislação impõe. Os sites da ANVISA e EMBRAPA são fontes obrigatórias de consulta para o empreendedor deste ramo.

O que é um rótulo para alimentos?

A definição dada pela ANVISA para um rótulo é a seguinte: “toda inscrição, legenda, imagem, ou toda matéria descritiva ou gráfica, escrita, impressa, estampada, gravada em relevo ou colada sobre a embalagem do alimento”.

Aqui você vê um breve esquema das informações que não podem faltar em um rótulo para alimentos:

rotulo para alimentos

Os itens acima devem constar obrigatoriamente em qualquer rótulo de produto alimentício. Você pode inserir também informações nutricionais complementares que podem valorizar ainda mais o seu produto, como “baixo teor de açúcar”, “sem aditivos químicos”, ou qualquer outra informação que julgar relevante para o seu público.

Atenção ao que você não deve colocar em seu rótulo para alimentos! Obviamente, informações que valorizam o produto devem ser verdadeiras, e você deve tomar cuidado para evitar informações que possam atribuir propriedades não reais relacionadas ao consumo do seu produto. Por exemplo, afirmar que seu produto é emagrecedor, ou que o consumo dele evita problemas de saúde, e assim por diante. Também é proibido indicar a ausência ou a presença de ingredientes que efetivamente não estejam de acordo com os componentes (por exemplo, inserir informação de baixo sódio se não for verdade).

O glúten e o leite são os dois maiores vilões relacionados a alergias alimentares, e dessa forma o cuidado com estes dois componentes deve ser redobrado. No caso do glúten, é obrigatório constar na embalagem a inscrição “CONTÉM GLÚTEN” para todos os alimentos que contenham traços em um determinado percentual, ainda que não sejam produzidos com componentes que tenham glúten. Já para a lactose, a partir de 2019 todas as embalagens deverão conter informações sobre a sua presença no produto, de acordo com a tabela informada pela Anvisa:

rotulo para alimentos

Com o crescente aumento de problemas de saúde relacionados a alergias alimentares, há alguns anos foi aprovado um regulamento que determina que sejam colocadas informações sobre alergênicos, além da denominação que já existia para alimentos com e sem glúten. Assim, mesmo que o seu produto não contenha alergênicos na sua composição, mas possa conter traços dos mesmos, você deve informar em seu rótulo, já que o grau de sensibilidade varia de pessoa para pessoa. Abaixo uma relação dos principais alimentos alergênicos:

rotulos para alimentos

Regras para a apresentação do rótulo de alimentos

Um bom rótulo para alimentos deve conter todas as informações necessárias em letras legíveis e claras. Com relação ao tamanho das letras, você pode ter como base as seguintes resoluções:

– RDC nº 259 da Anvisa (item 8.2): O tamanho das letras e números da rotulagem nutricional obrigatória, exceto a indicação dos conteúdos líquidos, não pode ser inferior a 1mm.

– A Portaria do Inmetro nº 157, de 19 de agosto de 2002 (item 4.2.2), define o seguinte:

rotulo para alimentos

Tabela nutricional em rótulos de alimentos

A tabela nutricional é obrigatória em todos os alimentos produzidos e embalados na ausência do cliente, comercializados prontos para serem oferecidos aos consumidores. Porém, alguns alimentos são dispensados desta obrigatoriedade:

– Bebidas alcoólicas;
– Aditivos alimentares e coadjuvantes de tecnologia;
– Especiarias;
– Águas minerais e as demais águas de consumo humano;
– Vinagres;
– Sal (cloreto de sódio);
– Café , erva mate, chá e outras ervas sem adição de outros ingredientes;
– Alimentos preparados e embalados em restaurantes e estabelecimentos comerciais, prontos para o consumo ( exceto no caso de serem comercializados para outros estabelecimentos)
– Produtos fracionados nos pontos de venda a varejo, comercializados como pré-medidos (ex.: produtos fatiados como queijos, embutidos, etc.)
– Frutas, vegetais e carnes in natura, refrigerados e congelados;
– Alimentos com embalagem cuja superfície visível para rotulagem seja menor ou igual a 100 cm2.

Se o seu produto não faz parte da lista acima, obrigatoriamente deve conter a tabela nutricional em seu rótulo.

O que é a tabela nutricional no rótulo para alimentos

A tabela nutricional é composta de dados que informam ao consumidor sobre as propriedades nutricionais dos alimentos. Devem constar os seguintes dados:

  • Valor energético em Kcal e kJ;
  • Carboidratos;
  • Proteínas;
  • Gorduras totais;
  • Gorduras saturadas;
  • Gorduras trans;
  • Fibra alimentar;
  • Sódio.

Minerais e vitaminas também podem constar na tabela nutricional, e todos os itens obrigatoriamente devem ser discriminados em quantidade por porção e %VD. É necessário ainda que a porção esteja expressa em gramas ou mililitros e apresente também a medida caseira (copo, fatia, colher de sopa, etc.).

Como a tabela nutricional pode ser inserida no rótulo de alimentos

A Anvisa determina que a tabela nutricional pode ser apresentada de quatro formas diferentes:

Tabela nutricional – modelo vertical A

 

Tabela Nutricional – Modelo Vertical B

rotulo alimentos

 

Tabela Nutricional – Modelo Simplificado

Quando seu produto não apresentar quantidades significativas de um ou mais nutrientes, você pode usar o modelo abaixo:

rotulo para alimentos

 

Tabela Nutricional – Modelo Linear

Informação Nutricional: Porção ___ g ou m (medida caseira); Valor energético___ Kcal =___kJ (___%VD); Carboidratos ___g (___%VD); Proteínas ___g (___%VD); Gorduras totais ___g (___%VD); Gorduras saturadas___g (___%VD); Gorduras trans___g (VD não estabelecido); Fibra alimentar ___g (___%VD); Sódio ___mg (___%VD). *% Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.

Como calcular a tabela nutricional para inserir no rótulo de alimentos

Existem diversas empresas que oferecem assessoria para elaborar tabelas nutricionais, e certamente isso poupará um tempo precioso para você. Você pode também adquirir softwares ou até mesmo achar na internet alguns sites que oferecem este serviço, funcionado como uma assinatura. Porém, nem sempre os empreendedores dispõem de dinheiro para investir nessa questão inicialmente. Se você quiser fazer o cálculo manual deverá consultar diferentes tabelas e realizar vários cálculos. Este artigo exigiu uma boa pesquisa, e para facilitar, ao final dele vou disponibilizar um link onde você poderá baixar todas as tabelas e também as Portarias relacionadas a este assunto gratuitamente. Aqui vai um resumo do que você deve fazer para calcular o valor nutricional dos alimentos:

Passo 1 – Defina porções e medidas

Consulte a Resolução da ANVISA RDC nº. 359 e veja em qual das situações seu produto se encaixa: porção, medida caseira, unidade, fração, fatia, etc. Esta mesma resolução apresenta as equivalências de gramas em outras unidades de medida de utensílios domésticos como xícara, colher de sopa, etc. 

Identifique a Porção de Referência do alimento a partir da consulta na Tabela de Valores de Referência para Porções de Alimentos e Bebidas Embalados para Fins de Rotulagem Nutricional

rotulo de alimentos

 

Passo 2 – Calcule o valor nutricional dos alimentos

Faça uma lista com todos os ingredientes usados na confecção do produto, incluindo as quantidades. Calcule quanto vai de cada ingrediente na porção que está sendo estipulada. Por exemplo, se você vende 100g de bolo de pote, precisa saber quanto vai de cada ingrediente nessas 100g. Uma exemplo simples: se você usou 1kg de farinha de trigo e conseguiu fazer 20 potes de bolo de 100g, já sabe que cada pote tem 50g de farinha de trigo. Isso deve ser feito com todos os ingredientes da sua receita. Com estes dados, você vai calcular a quantidade de carboidratos, gorduras e proteínas em cada pote.

Passo 3 – A tabela TACO

A melhor maneira de descobrir os valores da composição dos alimentos é consultar a tabela TACO (Tabela de Composição de Alimentos), elaborada pela Unicamp, que apresenta as referências em porções de 100 gramas. Já sabendo quantas gramas de determinado ingrediente vai em cada porção, é só multiplicar pelos valores que estão na tabela TACO.  Na mesma tabela você encontrará as informações para proteínas e gorduras.

A farinha de trigo por exemplo apresenta 77,7g de carboidrato em cada 100g. Se no seu pote de bolo tem 50g de farinha de trigo, significa que ali está presente 38,85g de carboidrato. Esta mesma conta deve ser feita com todos os ingredientes da receita.

Passo 4 – Calcule o valor energético

Para calcular o valor energético, você usará a tabela de conversão abaixo:

– Para cada grama de carboidrato: 4 kcal (ou 17kJ)

– Para cada grama de proteína: 4 kcal (ou 17kJ)

– Para cada grama de gordura: 9 kcal (ou 37kJ)

Assim, se levar em consideração o seu pote de bolo, as calorias relativas à farinha de trigo seriam de 155,4 kcal. Mais uma vez, é preciso frisar que esta conta deve ser realizada com todos os componentes da receita e somadas ao final.

Passo 5 – Referências de consumo diário (VD)

As referências de consumo diário levam em conta uma dieta de 2000 kcal, e também existe uma tabela que mostra o consumo indicado de cada item para que seja considerada uma alimentação saudável.

  • Valor energético (calorias): 2000
  • Proteínas: 75 gramas
  • Gorduras Totais: 55 gramas
  • Gorduras Saturadas: 22 gramas
  • Carboidratos: 300 gramas
  • Fibras: 25 gramas
  • Sódio: 2400 miligramas

Para calcular quanto o alimento oferece de cada item, veja por exemplo o total de carboidratos presentes no pote de bolo e verifique o quanto corresponde em % ao total diário apresentado na tabela. No nosso exemplo são 77,7g de carboidratos. Para calcular basta fazer uma regra de três: Se 300g de carboidratos correspondem a 100% de uma dieta de 2.000 calorias, quanto corresponderia 77,7g?

100 x 77,7 / 300 = 25,9%.

O assunto sobre rótulos para alimentos está constantemente em pauta, e é importante que você esteja sempre atento às mudanças na legislação correspondente. Um rótulo para alimentos dentro dos parâmetros solicitados pelos órgãos competentes e bem elaborado é o primeiro passo para que você tenha sucesso nas suas vendas.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre as informações obrigatórias em rótulos para alimentos e também como inserir a tabela nutricional em seu rótulo, busque um profissional de confiança para a criação dos seus rótulos. Espero que com este artigo possa ter esclarecido bem o assunto, que é uma dúvida presente em muitos de nossos clientes.

Falando sobre a impressão de rótulos para alimentos

Para quem está começando, qualquer gasto é um peso, e nada melhor do que contar com um parceiro de confiança na hora de imprimir seus rótulos. A Atualprint trabalha com o vinil adesivo, impresso com tinta eco-solvente (sem cheiro e à prova de água e umidade). O material é atóxico e adequado para embalagens de alimentos. A grande vantagem do vinil adesivo é que você pode imprimir em pequenas quantidades, sendo o material com melhor relação custo-benefício para o pequeno empreendedor. Convido você a conhecer a nossa Loja Virtual www.adesivoserotulos.com.br. Você verá que ter um rótulo de qualidade a preços acessíveis é totalmente possível.

E, como prometido no início deste artigo, clique no botão abaixo para que você possa baixar todo o material que encontramos relacionado a este assunto, além de se inscrever em nosso mailing e ficar por dentro dos próximos artigos e também de nossas promoções:

baixar arquivos sobre rotulos

 

 

 

Um abraço e até o próximo artigo!

Leliane Andrade